O começo do inverno


Não sei se foi o inverno, ou qualquer outra coisa, 
mas, prefiro acreditar que foi mesmo o frio de um inverno. No inverno eu te amei e hoje, novamente no inverno, eu te amo.Foi no "frio" que te conheci, e no frio hoje te conheço de novo.”

(Joanne H. Maggioni) 



Então chegou junho, com ele seu aniversário e o começo do inverno. Agora é ela quem está na sua festa de aniversário, escolhe teu presente. É ela ocupando o lugar destinado a ser só meu. Ficou a vontade de te contar tudo o que aconteceu nesse ano de silêncio, mas eu não podia, você não me dava espaço, qualquer manifestação minha era ignorada como se nunca fosse feita. E você levava embora toda minha certeza de que o tempo muda tudo. 
Os dias levavam a minha sanidade e paciência e ainda sim eu quis voltar...

Eu sonhei com você. Sonhei nas casas coloridas do teu país. E eu me desesperava ao saber que você estava no meu. Misturei então o que era meu com o que era seu. E eu corria, corria, corria desesperadamente pra te encontrar, pra te alcançar mas você se movia lentamente no tempo, desviando do meu caminho como se ele nem existisse. E era mesmo como se eu não existisse.
Eu me tornei teu silêncio, seu nada. Você não tem mais meu número de telefone, não sou eu mais parte do teu sonho. Não pertenço ao teu futuro, muito menos fiquei na melhor parte do teu passado.
Quando foi que perdi a parte que me encaixava a você?!

Sei dizer ao certo o momento em que decidi que era você. Sei contar todos os detalhes do teu corpo, ainda guardo o teu cheiro, som e volume da tua voz. Ainda guardo você com cuidado, com certa devoção.
Todos dias lembro por mil vezes todos os nossos encontros e desencontros também.
Ninguém é como você. Ninguém sabe tão perfeitamente o que gosto, ninguém me deixa tão feliz. Nunca vai existir um amor que possa ser comparado ao seu. Os outros são amores fraquinhos, sem tanta coragem, sem tanto erro, sem falta de ar.

Foi covardia sua ter me apresentado a perfeição e ir embora tão rápido. Eram os nossos erros os mais doces, era a nossa imperfeição a mais perfeita. Nunca haverá duas partes tão desiguais se que encaixaram tanto. Quando foi que perdi a forma que me moldava a você?

Era verão quando te conheci, outono quando me despedi e tudo se fez inverno com o nada que você me deixou. Nunca mais houve a primavera, nunca mais floreceu. Até abriu uma flor ou outra que com o tempo logo morreu.
Eu precisava desistir de voltar, seu silêncio respondia cada pergunta que eu gritava aos quatro ventos.
Fiquei com o silêncio, com o veneno diário de ver teu corpo com outra, alguém que nem te merece tanto. Fiquei com a tua covardia de nem querer se despedir. E confesso que mesmo odiando todo teu silêncio, ainda amo cada parte tua, cada parte suja como teu silêncio sem fim.

Feliz aniversário, te digo baixinho antes de dormir.


Meu beijo e saudade, Kaká.




Ps:. Só um exagero bobo de palavras. Como qualquer amor bobo e platônico.





2 comentários:

Anônimo disse...

Kaká!

Temos amigos em comum, por isso cheguei até o seu perfil no Face, e na sua página consta "Cristão Protestante", querida, eu acredito em você, porém ví você em fotos de boates etc. Será que você realmente já teve um encontro com Deus? Você é tão linda e preciosa para Deus, deixe Jesus amar e cuidar de você, deixe o Espírito Santo guiar você. Não se iluda nas armadilhas da noite, não caia no conto do vigário, se alimente apenas da palavra de Deus e confie nele, que encontrará um amor que mereça você, pois tenho certeza que se deixar ser guiada por Deus jamais frequentará esses lugares cheios de pessoas vazias, prisioneiras do pecado, sem expectativas de vida.
Beijos!

Kaká Almeida disse...

Anônimo,

Conheço bem a palavra de Deus, sei bem o que faço e onde vou. E pode ter certezas que se minhas atitudes são certas ou erradas não cabe a você me dizer.
Isso aqui é blog de textos livres, não necessariamente é o que eu vivo, muito é ficção e não um blog onde peço conselhos sobre algo que posto. Se eu precisar de direcionamento, conselho ou algo do tipo peço a Deus (já que tenho livre acesso a Ele) ou converso com pessoas que eu confio e que tenham nome e rosto.
Pessoas vazias, pioneiras do pecado existem em qualquer lugar.
Dá próxima vez que quiser falar sobre algo do tipo me procure e não use meu blog pra isso.


Espero ter respondido.


Beijos.